Desafios da implementação da Agenda 2030 no Brasil

A Agenda 2030 é um conjunto de princípios e propostas de ações acordadas pelos 193 países-membro, que compõem as Organizações da Nações Unidas (ONU). A agenda atende ao propósito primário do multilateralismo que “envolve um tipo de coordenação intencional e uma forma de interação entre os atores do sistema internacional, visando respostas coletivas a problemas…

Leia mais

Releitura de uma era de Guerra Fria: A versão sino-americana

As relações internacionais estão mudando, não de maneira pacífica, multilateral, abrangente. O que se vê é um revistar de experiências divisionistas, um mundo dividido por dois blocos antagônicos ideologicamente e que afetam os arranjos econômicos, comerciais, políticos e militares dos Estados protagonistas e suas respectivas zonas de influência. Nesse ambiente, a terminologia de Guerra-Fria 2.0,…

Leia mais

Amazônia, ultimato!

Venho estrear minha participação no CERES com esse artigo que eu considero complexo, porém extremamente urgente. Meu receio era de “chover no molhado”, já que o mundo todo vem acompanhando o que tem acontecido nos últimos meses com a Amazônia batendo recorde de queimadas e tendo maior número de focos desde 2007; territórios indígenas sendo…

Leia mais

Carreira de Relações Internacionais: novos e velhos desafios

Da primeira publicação especializada, a Revista Brasileira de Política Internacional (RBPI), criada em 1954, e do primeiro curso de Relações Internacionais da Universidade de Brasília (UnB), criado em 1974, até a consolidação de Relações Internacionais como profissão em 2020, a carreira passou e segue passando por desafios. Para uma profissão em construção, além das incertezas…

Leia mais

Por quê a direita deveria fortalecer os organismos internacionais?

Historicamente, a esquerda tem uma maior propensão a refletir a sociedade e a economia para além de suas fronteiras físicas, mas isso não quer dizer que ela detenha o monopólio do pensamento transnacional. Para não retroagir muito sem necessidade, o corte temporal será o século XX, que já possuía um cenário de sufrágio universal, outros tipos de economia para além da indústria já eram realidade, as democracias liberais e a social democracia já existiam, e a velha tensão entre capital e força de trabalho que continuou a orientar a direita e a esquerda.

Leia mais

Geopolítica: a vingança de Confúcio e os novos Soberanos

Por Orivaldo Nunes Jr. Resumo: Dois blocos econômicos vinham se formando no planeta Terra após a extinção da União Soviética e o fim da Guerra Fria em 1991, com a ascensão da China tecnológica. Em 2001 os EUA tentaram retomar sua maquinaria de guerra permanente com o falso ataque às Torres Gêmeas, instaurando o inimigo…

Leia mais